fbpx

Manual do ciclista iniciante.

Baixe grátis (direto no seu e-mail).

Este PDF reúne de maneira estruturada as respostas para as dúvidas mais comuns de quem está iniciando no mundo do ciclismo.

O Que Você Ganha ao Participar do Clube:

Realize seus primeiros 100 km em 3 meses e sua primeira grande cicloviagem em 1 ano.

Serviço Profissional

No Clube você paga mais barato do que nas aulas individuais porque as atividades são feitas em grupo. Em cada treino você poderá conhecer locais bonitos, socializar, tirar fotos e etc. No entanto, as atividades vão muito além do simples passeio entre amigos, são aulas com foco no seu aperfeiçoamento. Você receberá atenção e cuidados de forma profissional.

Segurança

Nos treinos do Clube você participará de grupos pequenos, onde todos são orientados à seguir os protocolos de segurança no trânsito e prevenção de contaminação (Covid-19). Os Instrutores são capacitados para te conduzir com segurança e estão preparados para te dar apoio em caso problemas mecânicos. Nos treinos longos você poderá contar com carro de apoio, sempre que necessário.

Mais Amigos

Encontre amigos, que compartilhem dos mesmos interesses pela bicicleta, e dê mais sentido à sua vida. Viaje de bicicleta, e descubra que você é capaz de realizar feitos incríveis, como pedalar 247 km em 3 dias consecutivos. Muitos de nossos alunos já fizeram isso!

Saúde

A atividade física regular combate o sobrepeso e dores, reforça o sistema imunológico, reduz o uso de medicamentos, melhora a qualidade do sono e faz bem para o corpo e mente. A bicicleta é uma atividade que não faz mal ao corpo e que permite que você se exercite, mesmo que não possa fazer outro tipo de esporte, como a corrida, por exemplo.

Liberdade

Você irá experimentar a sensação de liberdade de sair das praças e ciclovias para pedalar com segurança pelas ruas, trilhas e estradas. No Clube você encontrará desafios que te levarão cada vez mais longe com o objetivo de ir te preparando para se tornar autossuficiente e com isso poder pedalar em qualquer lugar do mundo.

Autoestima

Seu físico irá melhorar e você passará a se sentir bem com o seu próprio corpo. Cada pequeno desafio superado te dará a confiança necessária para encarar o próximo e você irá muito mais longe do que jamais imaginou. Esse processo fará de você um pessoa mais confiante e segura em diversas áreas da sua vida.

Perguntas Mais Frequentes

Clique na pergunta para ver a resposta.

Basta agendar uma avaliação gratuita através do WhatsApp 71 98179-2244. 

Você precisará ter a sua própria bicicleta e saber o básico: pedalar com o banco na altura correta, usar os freios e câmbios. Mas não se preocupe Se você precisar de nivelamento poderá contar com a nossa escola fazendo algumas aulas individuais e se no início dos treinos no Clube você ainda não conseguir acompanhar o grupo, não se preocupe pois no primeiro mês você terá o acompanhamento de um Instrutor dedicado ao grupo de calouros que faz percursos menores e mais simples.

Os treinos acontecem semanalmente nas terças a noite e nos sábados de manhã e no terceiro domingo de cada mês tem treino longo. O ponto de encontro padrão é na praça Aquarius (atrás do Hospital da Bahia), podendo variar de acordo com o objetivo do treino.

Clínica: Nas terças os treinos tem ênfase nos aspectos funcionais básicos, tais como: equilíbrio, postura, uso dos freios e câmbios, subidas e ladeiras, entre outros. Normalmente atividade começa com uma explanação teórica seguida de prática. A distância percorrida é de 10 km em ritmo leve.

Base: Nos sábados o treino é focado em força e resistência e a distância percorrida é de 10 à 20 km em ritmo moderado.

Longo: No terceiro domingo de cada mês fazemos um treino de longa duração (de tempo ou distância) com o objetivo de atingir de 7 metas anuais: Branca (50 km de asfalto), Laranja (20 km de trilha), Azul (80 km de asfalto + 500 m de subida acumulada), Amarela (30 km de trilha), Verde (100 km + 1000 m), Marrom (120 km) e Preta (200 km com pernoite). Sendo a ultima (a preta) a nossa cicloviagem de fim de ano.

Obs: A distância percorrida e ritmo dos treinos podem variar para mais ou para menos em função da energia do grupo e dos objetivos propostos para cada atividade.

Sim. Ensinamos através de aulas individuais. Para saber mais envie mensagem para o a WhatsApp 71 98179-2244 ou acesse a página referente as aulas individuais: https://jafuidebike.com.br

Sim. Ensinamos através de aulas individuais. Para saber mais envie mensagem para o a WhatsApp 71 98179-2244 ou acesse a página referente as aulas individuais: https://jafuidebike.com.br

As Lives acontecem toda segunda-feira 19h57 através do perfil do Instagram @danielbagdeve e tem como objetivo responder perguntas e ler comentários de quem está começado no mundo do ciclismo. Para participar abra o Instagram e acesse o perfil @danielbagdeve e, quando a Live estiver ativa, clique na foto do perfil.

Para saber mais sobre as Lives, ver as gravações anteriores, receber o link direto por email ou ativar as notificações, acesse:  https://www.jafuidebike.com.br/live/

Fobia Social superada com a ajuda da bicicleta.

Entenda como Marília Dourado encontrou na bicicleta apoio para o tratamento deste problema.

Meus 5 anos de Clube.

Marília Dourado fala dos 5 anos participando do Clube.

Meus primeiros 100 km

Marília Dourado fala das suas maiores conquistas no Clube.

Veja o depoimento emocionado de Carol depois da sua primeira cicloviagem.

Carol Daltro, médica, se emociona ao completar o desafio de 247 km junto com o marido.

Veja o que Martha fala sobre Clube e sobre a sua primeira cicloviagem.

Martha Martinez, Pesquisadora da Fiocruz, de 62 anos literalmente tatuou a logo marca da Já Fui de Bike!

Veja como Flávia ficou feliz ao completar seus primeiros 100 km.

Juíza, mãe de 2 filhos, vibra no final do seu primeiro pedal de 100 km.

Veja alguns desafios que nossos alunos já encararam junto com a gente.

Volta do Recôncavo – 11-2019
16 pessoas percorreram 296,5 km com 2.843 m de subida acumulada em 3 dias de viagem.

Depois do sucesso da primeira turma em abril deste mesmo ano, este grupo, com 16 pessoas, foi o segundo a fazer a Volta do Recôncavo em 2019. Vale registrar a participação de Clarice Coutinho, Psicóloga, e Guilherme seu filho de 14 anos, que juntos completaram o percurso de 296,5 km. Um feito incrível considerando que Guilherme aprendeu a pedalar a apenas 7 meses antes da viagem. O percurso começou em Salvador passando por várias cidades do Recôncavo baiano, tais como: Santo Amaro, Cachoeira, Maragogipe, São Roque do Paraguaçu e Nazaré das farinhas. No percurso o grupo visitou alguns pontos de Interesse como rios e cachoeiras e venceram desafios como o ladeirão de Pedras, logo após o almoço do primeiro dia e a sequencia de 36 km ladeiras na região do Guaí no segundo dia. O sentimento companheirismo marcou a viagem onde a turma se ajudou o tempo todo na base do “ninguém fica pra trás”.

Volta do Recôncavo – 04-2019
23 pessoas percorreram 257,5 km com 2.442 m de subida acumulada em 3 dias de viagem.

A Volta do Recôncavo já era um roteiro consagrado no cenário ciclístico baiano, quando em abril de 2019 decidimos levar o Clube para percorrê-lo pela primeira vez. No percurso se destacam belezas naturais como as paisagens, rios e cachoeiras assim como várias cidades históricas como Santo Amaro da Purificação e Cachoeira, entre outras. O trajeto é desafiador, especialmente para quem está começando, devido ao grande número de ladeiras entre as quais se destacam a subida de Pedras com seus 5,8 km e 174 m de subida acumulada que fica ainda mais difícil porque vem logo depois do almoço no primeiro dia, assim como a sequencia de ladeiras que se estendem por 36 km na região do Guaí que começa também depois do almoço no segundo dia. O grupo formado por 23 pessoas enfrentou dificuldades pelo caminho, alguns precisaram recorrer ao carro de apoio nos trechos mais difíceis mas no geral  a turma se saiu bem.

Cicloturismo em Cachoeira – 01-2019
16 pessoas percorreram 55,23 km com 709 m de subida acumulada em 2 dias de atividade.

Durante o mapeamento da Volta do Recôncavo, sentimos não termos ficado mais tempo na cidade de Cachoeira que é cheia de história, cultura e belezas naturais. Foi daí que nasceu a ideia de levamos o Clube para pedalar um fim de semana inteiro por lá. Antes da viagem fizermos uma oficina completa de Montainbike já que alguns participantes nunca haviam pedalado fora do asfalto antes. Com a chuva o primeiro desafio para os calouros foi pedalar na lama e depois vieram os barrancos e curvas apertadas. No começo a maioria empurrou mais do que pedalou e a medida que foram ganhando confiança passaram a se divertir nas trilhas onde visitamos ruinas históricas e cachoeiras. As 16 pessoas do grupo dedicaram tempo também para conhecer a cidade que é simplesmente deliciosa. O maior desafio desta viagem foi a subida que fica na entrada da cidade com 2,72 km de extensão e 155 m de subida acumulada.

Reproduzir vídeo
Itacaré – 09-2018
37 pessoas percorreram 227,43 km com 2.324 m de subida acumulada em 3 dias de viagem.

Com essa edição completamos 4 anos consecutivos realizando o desafio Itacaré e, assim como nos anos anteriores, a trip foi com lotação máxima. Na época este era o roteiro mais procurado pelo nosso público. Um fato curioso foi que nesta edição o grupo foi majoritariamente formado por famílias e casais, merecendo um registro especial para a Família Azevedo, que estava participando pelo segundo ano seguido, e também para Angélica Vitoriano e sua filha Jaqueline que presenciou a vitória da mãe que aprendeu a pedalar somente aos 57 anos e com 60 conseguiu completar esse desafio. A quantidade de casais (7) presentes correspondeu à 37% do total de participantes, fazendo dessa viagem a mais romântica que já tivemos. Mas nem por isso foi mais fácil que as edições anteriores. A turma permaneceu unida no momento mais emocionante do roteiro que é a chegada no final da Serra das Onças com 49,08 km de ladeiras em sequencia que fizeram o grupo acumular 800 m de elevação. No vídeo (link abaixo) é possível ver a emoção das pessoas no momento da chegada.

Capão (Chapada Diamantina) – 04-2018
15 pessoas percorreram 33,81 km com 1.077 m de subida acumulada em 3 dias de atividade.

Pedalar com o Clube no Vale do Capão foi um sonho realizado tanto para nós como para os nossos alunos, pois devido a escassez de hospedagem e aos problemas da via de acesso à Vila, levar o grupo até lá já representou um desafio a parte. Como não encontramos vagas nas pousadas do Capão estabelecemos a nossa base em Palmeiras tendo que percorrer todos os dias 18 km só para chegar no ponto de partida dos pedais. Isso seria fácil se pudéssemos ter ido de Van, como havíamos planejado, no entanto a chuva forte que caiu logo na chegada deixou a estrada de terra intransitável para o nosso veículo, então foi necessário improvisar. Retiramos as bikes do reboque e pedalamos em meio a muita lama e com atenção redobrada para os veículos 4×4 que passavam escorregando na pista em ambas as direções. Esse perrengue não foi o suficiente para estragar o nosso dia que foi maravilhoso. Felizmente do segundo dia em diante o sol abriu e não tivemos mais esse tipo de problema. Durante 3 dias o nosso grupo, composto por 15 pessoas, fez trilhas de bicicleta e também a pé visitando os principais pontos de interesse da região.

Barra Grande de Maraú – 12-2017
42 pessoas percorreram 45,55 km em areia de praia e curtiram o tempo livre com familiares e amigos.

Pedalar 100% do tempo em areia de praia. Esse foi o desafio lançado para os participantes que, na sua maioria, morriam de medo desse tipo de terreno. O medo só não foi maior do que a tentadora recompensa de poder curtir junto com familiares e amigos várias atividades programadas para o tempo livre, tais como: passeio de quadriciclo, mergulho diurno e noturno em Taipu de Fora, na maior piscina natural do Brasil, luau na praia com voz e violão e comes e bebes e muitas belezas naturais para serem explorada em Barra Grande de Maraú. O ponto alto do desafio foi o pedal noturno de 14 km beirando a praia iluminada pela magnífica lua cheia, foi um momento mágico e ao mesmo tempo tenso porque se não cronometrássemos o tempo direitinho corríamos o risco da maré subir e, neste caso, teríamos que dormir literalmente na praia. No final deu tudo certo. Pedalamos até o local do luau, fizemos o mergulho noturno e voltamos pedalando no tempo certo. Essa foi a atividade com maior número de familiares e amigos que já tivemos e deu para perceber como os participantes ficaram felizes em unir o amor pelo esporte e pelos entes queridos.

Rio de Janeiro – 10-2017
15 pessoas percorreram 68,36 km com 983 m de subida acumulada em 2 dias de atividade.

Pegamos o vôo na sexta a tarde e depois do desembarque, preparação das bikes e translado chegamos ao hostel já próximo da meia noite e, mesmo assim, os participantes mais animados saíram para dar uma voltinha pois é difícil resistir aos encantos da Lapa. Na manhã do dia seguinte, bem cedinho, o grupo todo já estava pronto para pedalar e a ansiedade era grande pois iriamos visitar os principais cartões postais da cidade: Cristo Redentor, Mesa do Imperador, Vista Chinesa e Orla. Pouco tempo antes esses mesmos locais foram palco das Olimpíadas e a turma estava eufórica. O grande desafio foi a altimetria acumulada. Para chegarmos ao Cristo foi mais de uma hora de subida sem tréguas, mas a recompensa veio na descida de mais de 20 minutos sem precisar pedalar. A subida para a Mesa e Vista Chinesa foi ainda mais longa, mesmo assim ninguém precisou recorrer ao carro de apoio. No final da tarde voltamos pela orla e com tudo plano foi só alegria. Na noite do sábado a turma pôde curtir a Lapa, dessa vez sem tanta pressa. Na manhã de domingo fizemos um pedal exploratório pelo centro histórico e a tarde pegamos o vôo de volta. Acabamos cansados, felizes e com gosto de quero mais.

Reproduzir vídeo
Itacaré – 09-2017
47 pessoas percorreram 244,81 km com 3.186 m de subida acumulada em 3 dias de viagem.

Esse foi o desafio com o maior número de participantes que já tivemos. Foi preciso 3 pousadas para acomodar todo o grupo e na volta, como não coube todo mundo no ônibus, foi necessário mais um carro pequeno. Nesta edição tivemos muitos estreantes e a cada etapa completada a emoção transbordava contagiando até o veterano mais experiente face tamanha superação das pessoas que embarcaram no desafio sem a mínima confiança de que chegariam ao final com sucesso, meramente pelo medo do desconhecido. Na pratica o grupo arrasou pois absolutamente todos completaram o desafio sem por os pés no carro de apoio. Essa emoção foi captada com maestria no depoimento que Carol Daltro, uma das participantes, escreveu durante a viagem e leu espontaneamente para o grupo na volta, dentro do ônibus. Esse depoimento se tornou a trilha sonora do vídeo com flashes da viagem que podem ver através do link abaixo. As distâncias percorridas pelo grupo durante a viagem foram: Dia 1: 60 km até Nazaré  (almoço); 45 km até Valença. Dia 2: 21 km até Taperoá (visita à cidade); 8 km até Nilo Peçanha (almoço/banho de rio); 18 km até Ituberá (Pancada Grande); 10 km até Igrapiúna (visita à cidade); 25 km até Camamu. Dia 3: 30 km até Tremembé (Almoço/Banho de Cachoeira); 30 km até Itacaré.

Reproduzir vídeo
Itacaré – 09-2016
26 pessoas percorreram 227,43 km com 2.324 m de subida acumulada em 3 dias de viagem.

Na primeira edição do desafio “Itacaré” realizada pela nossa escola contamos com a participação de 26 pessoas. Tivemos apenas 2 meses para para preparar a turma, quando o normal seria um ano. E podemos dizer que o treinamento intensivo deu certo porque todos os participantes conseguiram completar o desafio sem precisar por os pés no carro de apoio. Saímos de Bom Despacho parando para almoçar em Nazaré das Farinhas de onde seguimos até Valença para dormir. No dia seguinte o almoço foi em Nilo Peçanha e no restaurante tinha uma balsa ancorada no meio do rio. Foi um fantástico tomarmos banho de rio enquanto nos deliciávamos com o maravilhoso tempero da comida local. Destaque para o Pitu, pescado ali mesmo, com pirão. No final da tarde paramos na Cachoeira da Pancada Grande (Ituberá) de onde saímos no entardecer. Outro momento fantástico foi quando pedalamos a noite sem a interferência de luzes externas, pois pudemos ver muito mais estrelas no céu. Pernoitamos em Camamu e, no terceiro e último dia de pedal, almoçamos em Tremembé onde visitamos mais 2 cachoeiras. Dormimos em Itacaré e na manhã seguinte a turma fez uma trilha a pé para conhecer as praias próximas e depois do almoço voltamos de ônibus chegando em Salvador por volta das 22h do domingo.

Pessoas reais que já tiveram resultados
surpreendentes com a nossa metodologia de ensino.

Mary percorreu 231,87 km com 1.832 m de subida acumulada em uma cicloviagem de 4 dias no Circuito Costa Verde Mar, Santa Catarina, em junho/2021

“Aqui faço um agradecimento especial à Daniel Bagdeve. Não fossem nossos treinos no Clube e seus ensinamentos técnicos não teria vencido os desafios desta aventura.”

Mary é veterana do nosso Clube. Logo que chegou, ela tinha muita dificuldade com o equilíbrio, tanto que já chegou a cair e se machucar mais de uma vez. Nem as dificuldades e nem as quedas a fizeram desistir. Neste tempo ela já fez muitas cicloviagens com a gente. Foram muitas aulas e muitos treinos. Ela foi aprendendo e ganhando confiança e hoje ela se sente segura o suficiente para se aventurar pelo mundo. Ela já fez inclusive o Caminho de Santiago pedalando 813 km em 15 dias. Agora foi a vez do Circuito Costa Verde Mar em Santa Catarina onde percorreu em 4 dias 231,87 km com 1.832 m de subida acumulada.

Mary Leonesy
Funcionária Pública

Reproduzir vídeo
6 mulheres pedalam 100 km em 1 dia

“Pedalei 100 km e 600 metros e ainda vou pedalando até em casa.”

Durante os treinos preparatórios para o desafio anual estas 6 mulheres alcançaram um marco importante na vida de todo ciclista: completaram pela primeira vez na vida 100 km pedalados em um só dia.

Simone Perólio
Guia de Turismo

Reproduzir vídeo
Psicóloga aprendeu a pedalar com 57 anos e após 1 ano de preparação fez sua primeira cicloviagem de 247 km

“Era uma frustração eu não fazer algo que eu gostaria muito de fazer na vida.”

Bem sucedida na carreira e com os filhos encaminhados na vida Angélica desejava preencher o vazio que se formava em seu interior e através da bicicleta ela encontrou novas pessoas e objetivos.

Angélica Vitóriano, 61 anos
Psicóloga

Reproduzir vídeo
Médica aprendeu a pedalar aos 43 anos e 11 meses depois fez sua primeira cicloviagem de 240 km junto com o marido.

“A bicicleta mostra que as coisas são simples e que é a gente que sofistica e deixa de aproveitar a vida.”

Julieta superou o medo e aprendeu a pedalar para se sentir mais próxima do marido e dos filhos e para ter mais opções no esporte.

Julieta Góes, 48 anos
Médica

Reproduzir vídeo
Psicóloga pedala 300 km junto com seu filho de 13 anos após apenas 7 meses de preparação, saindo do zero.

“Foi um projeto criado juntos e que a gente está vencendo juntos também!”

Clarice e Guilherme passaram a pedalar juntos regularmente e criando interesses em comum, mãe e filho, reforçaram importantes laços familiares.

Clarice Coutinho
Psicóloga

Reproduzir vídeo
Médica de 62 anos pedalou 247 km buscando melhorar vida pessoal e profissional.

“Toda vez que eu estou muito sobrecarregada, que eu vejo que meu limite está chegando, eu pego a bicicleta e pedalo.”

Ivonilda superou todas as dificuldades e realizou o que antes lhe parecia impossível e hoje se sente pronta para encarar qualquer desafio.

Maria Ivonilda, 62 anos
Médica

Reproduzir vídeo
16 pessoas de ambos os sexos e idades variadas pedalaram 86,03 km em um dia

“Daniel acreditava mais em mim do que eu mesma.”

Em 2016, 3 dias antes de encarar o desafio Salvador – Itacaré (247 km), essa turma pedalou 86,03 km como teste final. A maioria delas, 2 meses antes, nem conseguia acreditar que seria capaz, mas com os treinos ganharam confiança. Todos completaram o percurso se divertindo bastante e sem a necessidade de usar o carro de apoio, o que mostra  que estavam realmente bem preparados.

Andréa Andrade, 52 anos
Corretora de Imóveis

Veja o registro dos últimos treinos do nosso Clube.

Giro no CAB – 28/08/2021
Percurso de 31 km com ladeiras longas para simular as condições reais de estrada.

Ontem durante o treino do Clube tivemos motivos para comemorar duplamente, primeiro pela chegada de Diana ( @dianasds33 ) e segundo pelo recebimento da meta verde (100 km).

Diana veio pedalando de Mussurunga e chegou bem cedinho, toda animada para fazer a avaliação. Começamos pela bicicleta que precisou de ajustes e o pior foi a corrente que quebrou bem na hora da saída. E ainda bem que não quebrou no caminho de casa até a praça. Diana não tinha Power Link e mas Ed Ferreira chegou e nos salvou com o seu Power Link de 8 velocidades.

Uma vez que a bike foi consertada Diana saiu para pedalar com o grupo se mantendo o tempo todo no pelotão da frente e só não conseguiu completar o treino porque o bico do selim quebrou de vez e ela teve que ir pra casa mais cedo.

Sandra ( @sandrabitencourt3 ) e Mauro receberam a meta azul (80 km), feito que merece destaque tendo em vista que são novos no Clube e até pouco tempo Sandra nem acreditava que iria pedalar 10 km de uma vez. Está cada vez mais perto deles fazerem seus primeiros 100 km.

O outro motivo de comemoração foi que os participantes do Clube receberam hoje a meta verde (100 km / 1000 m de subida) então agora é oficial: vamos partir para o primeiro percurso de 3 dígitos deste ano.

A nossa viagem para Itacaré está a cada dia mais próxima e agora é hora de cada um testar a sua condição física e mental no campo de batalha que é a estrada.

O treino foi no CAB e quem já pedalou por lá sabe como é duro, porque além do percurso de ida e volta tem 5 subidas relativamente longas e é comum ter vento contra também.

Logo no inicio do treino Ana ( @anacavalcanti17 ) ficou para trás, acompanhada de Ed, e eu até pensei que não a veríamos mais, até que ela surpreendeu a todos alcançando o grupo na última ladeira e voltou junto com o pelotão até a praça.

Danilo, Miri ( @mirinaide01 ) e Carol ( @carolzinhaoliveira80 ) pedalaram muito bem mas quem está dando show mesmo nos últimos treinos é Tia Vone ( @maria_ivonilda_gonzalez ) que até pouco tempo reclamava de sempre acabar ficando pra trás, mas agora que encontrou seu ritmo e melhorou a postura está puxando o pelotão em todos os treinos.

Treino Passeio – 02/08/2021
Percurso de 60 km com muitas paradas para fotos e lanches em pontos turísticos de Salvador.

Como tempo chuvoso, temos treinado pouco. Passamos o mês de julho na expectativa de irmos para Sapiranga, mas não rolou. Eu normalmente espero o terreno secar para levar os alunos pro mato para garantir que todos terão a melhor experiência possível, afinal para alguns será a sua primeira vez na trilha. Para não ficarmos sem o treino longo do mês convidei a turma para fazer um “treino passeio” pela cidade.

O conceito de treino passeio é muito aplicado em pedais regenerativos de curta distância e pode ser usando também em longos para ampliar as reservas de glicogênio e assim reforçar a resistência.

Choveu muito na véspera e o vento estava muito forte ontem e com isso compareceu ao treino uma número reduzido de pessoas: Mary ( @mary_leonesy2  ) trouxe seu namorado Cris como convidado, Babi ( @babilyrio ) convidou Marthinha ( @marthasmartinez ) que já fez parte do Clube e é super querida e contemos também com a presença e alegria de Miri ( @mirinaide01  ) e Tia Vone ( maria_ivonilda_gonzalez ).

Em passeios eu gosto muito de surpreender os participantes pedalando por lugares belos e escondidos da cidade. E a julgar pela reação das participantes (veja no vídeo) acho que eu consegui mais uma vez!

Etapa 1: Saímos da Pituba e descemos pela orla, enfrentando o forte vento contra, paramos em Ondina, para uma foto atrás do Othon, contornamos o Farol da Barra, subimos a Ladeira da Barra e paramos no 2 de julho para um café da amanhã.

Etapa 2: Descemos pela Rua Visconde de Mauá (belíssima vista) e subimos pela Preguiça, percorremos Pelourinho, Carmo, Santo Antônio, descendo pela Água Brusca e fomos para a Ribeira via Caminho de Areia onde paramos na sorveteria (da Ribeira).

Etapa 3: Demos a volta na península Itapagipana pela Av. Beira Mar e Pedra Furada e voltamos pela Boa Viagem, Comércio (onde pegamos muito vento contra), subimos a contorno e depois passamos pelo Lucaia. Na entrada do Itaigara atravessamos para o canteiro e entramos pela ciclovia (inacabada) do BRT, saindo no Shopping da Bahia e terminamos o percurso de 60 km na Pituba.

Todos se divertiram bastante e completaram o percurso sem grandes dificuldades.

Assista o vídeo com o resumo do treino.
Reproduzir vídeo
Clínica de equilíbrio – 17/07/2021
Treino nos canteiros do CAB visando preparar os novatos para sua primeira trilha.

No treino do Clube de hoje demos as boas vindas a Ana ( @anacavalcanti17 ) que já vinha participando ativamente de forma virtual, nas Lives semanais, e agora se fez presente fisicamente. Seja muito bem vinda Ana.

Acredito que a chegada de Ana será motivo para Sandra ( @sandrabitencourt3 ) comemorar, mas do que os outros, pois ela poderá se ver espelhada em Ana, identificando nela os seus antigos medos e assim saberá o quanto já evoluiu.

Além de Sandra e Ana contamos com a presença de Miri ( @mirinaide01 ) e sua convidada Fernanda, Tia Vone ( @maria_ivonilda_gonzalez ), Mary ( @ mary_leonesy2 ), Clauber, Mauro (Marido de Sandra) e Ed ( @edinstrutordebicicleta ).

O treino de hoje foi nos canteiros do CAB, onde fizemos uma clínica de equilíbrio visando preparar os novatos para sua primeira trilha.

A cada treino eu fico mais impressionado com Tia Vone que é um exemplo vivo de que não existem limites que não possam ser superados com paciência e persistência. Ela foi uma das que mais teve dificuldades e medos quando o assunto era trilha, mas ultimamente tem servido de modelo para os novatos, exibindo postura e equilíbrio perfeitos nas descidas e subidas mais difíceis.

Miri, que antes ficava literalmente paralisava diante das descidas mais íngremes, vem aos pouquinhos superando seus medos e hoje ela simplesmente se divertiu subindo e descendo os barrancos tanto que eu precisei pedir para ela usar os freios porque ela estava descendo na banguela.

Mary tem um desafio a mais que os outros. A sua maior estatura requer mais esforço para manter a postura mais compacta e com isso ela acaba pendulando o tronco e perdendo o equilíbrio. Com treino e dedicação ela irá compensar isso com toda certeza.

Mauro tem bastante facilidade. Ele só precisa de alguns ajustes finos como, por exemplo, manter os pés paralelos ao se apoiar nos pedais e baixar mais o tronco nas subidas e descidas, no mais ele tirou de letra.

Os principais aspectos da clínica foram: centro de gravidade, frenagem controlada e as posturas que favorecem o equilíbrio e controle de direção em subidas e descidas. Esses aspectos são fundamentais e iremos repetir em breve.

Colaboração Contra o Vento – 12/06/2021
Percurso de 27 km com foco na colaboração para manter o grupo unido contra o vento.

A chuva finalmente deu trégua, no entanto, os fortes ventos espantaram muita gente do pedal. Esse não foi o caso das guerreiras do nosso Clube: Miri ( @mirinaide01 ), Mary ( @mary_leonesy2 ) e Tia Vone ( @maria_ivonilda_gonzalez ) que compareceram ao treino de hoje. Vale registrar que tanto Miri quanto Tia Vone estiveram presentes também no último sábado quando treinamos com ventos fortes. Quanto mais elas treinarem mais eficientes e seguras estarão.

Nos treinos do Clube eu gosto muito de simular situações reais de cicloviagens  e hoje o foco do treino foi o esforço necessário para manter o pelotão unido com ventos fortes.

O vento hoje estava soprando para o oeste (do mar pra terra). Então a sensação para quem pedalou pela orla é que ele estava empurrando de lado. Subimos pela Orla entrando na Av. Orlando Gomes e voltamos pela Av. Tamburugy onde utilizamos o circuito oval para fazer a uma prática que consistiu em uma série de arrancadas em velocidade moderada com intervalos para o descanso onde o objetivo era não perder a roda do coleguinha da frente. No começo as meninas se empolgaram porque estávamos a favor do vento, mas quando viramos foi difícil. O grupo quebrou várias vezes e para quem ficou para trás foi necessário lutar com todas as forças para alcançar novamente para logo em seguida entrarmos em outro momento de arrancada.

Tia Vone resistiu na ponta por bastante tempo até que entregou os pontos deixando Mary assumir a liderança onde ficou até o final. Miri nos contou que havia dormido pouco e talvez por isso não estivesse tão bem hoje, ela se manteve no fundo o tempo todo, mas não largou o osso.

O objetivo foi fazer as participantes sentirem como é importante quem está na frente ir mais devagar e quem está atrás se esforçar um pouco para não se distanciar do grupo.

A volta foi pela orla onde pegamos o vento de lado novamente. Ufa! Quem treina contra o vento não precisa de ladeira.

Formação Contra o Vento – 03/07/2021
Percurso de 36,2 km com ventos de 36 km/h com o objetivo de trenar a habilidade de usar a formação do grupo para se proteger contra o vento.

Miri ( mirinaide01 ), Tia Vone ( maria_ivonilda_gonzalez ) e Carol ( carolzinhaoliveira80 ) não têm medo de vento. Eu avisei ontem à turma do Clube que iria ter treino com vento forte e elas compareceram.

Começamos o treino pela ciclovia do Metrô a favor do vento e depois, que a turma aqueceu, pegamos a Av. Tamburugy (atrás do Shopping Paralela) fazendo o circuito oval onde as meninas puderam trenar a formação contra o vento em um sentido e descansar no outro. O treino foi totalmente focado na habilidade de se proteger do vento utilizando o grupo, o que pode significar a diferença entre completar o percurso ou ir para o carro de apoio, pois em viagens longas é normal pegarmos trechos longos em um único sentido e então quando o vento está contra não tem para onde fugir. Na volta eu levei o grupo por ruas internas, com o objetivo de evitar o vento, até a Boca do Rio de onde saímos para a Orla e Dalí em diante foi o momento de testar as habilidades aprendidas no campo real de batalha. Com o vento sul de 35 km/h as meninas revezaram até o Costa Azul. Carol ficou pra trás em alguns momentos porque já estava bem cansada mas eu puxei ela de volta até o pequeno pelotão. Elas se saíram super bem!

Carol parece ter finalmente se adaptado ao clipe, até pouco tempo ela me parecia apreensiva, mas hoje eu a vi sorrindo como eu já não a via fazer há tempos. Para o novato no clipe não é nada fácil administrar os encaixes e desencaixes dos pés nos pedais em situação de ventos fortes, onde é necessário andar na roda (ficar muito próximo da roda do colega à frente) e ela me pareceu bem tranquila quanto a isso.

A vibração de Tia Vone hoje estava muito maior do que o habitual, ela liderou o grupo durante o treino inteiro pedalando forte mesmo contra o vento. Tanto que as meninas perguntaram mais uma vez o que ela tinha comido para ter tenta energia. Como já contei aqui, Tia Vone teve Covid e ainda estava se recuperando então foi muito bom a ouvi-la dizer que hoje ela se sentiu como nos bons tempos.

Miri é a que melhor sabe andar na roda, ela consegue manter a distância sincronizando os movimentos com a parceira à frente o tempo todo.

Reproduzir vídeo
Clínica de Equilíbrio – 19/06/2021
Treino de equilíbrio para estreantes. Primeiro estágio preparatório para quem pretende fazer a sua primeira trilha. 

Hoje no Clube tivemos uma clínica de equilíbrio que fazemos sempre que entra gente nova. Os veteranos também participam, pois a repetição é superimportante, entenda o porquê:

O equilíbrio é um aprendizado do sistema motor que não acontece de maneira consciente, então é necessário repetir bastante pois o organismo aprende através de tentativa e erro.

No inicio da aula eu sempre repito para a turma que é preciso controlar as expectativas, pois dificilmente um novato vai acertar as manobras de primeira e isso realmente não importa. O segredo é tentar várias vezes e a ir cada vez um pouquinho mais longe.

Outro aspecto que eu friso bastante para os alunos é que o medo de cair precisa ser encarado com naturalidade. Ele sempre estará presente pois faz parte do instinto de sobrevivência e a única maneira de superá-lo é dizendo para o seu organismo que o que você está fazendo é seguro e isso se faz também através da repetição vencendo uma etapa por vez.

Os estreantes no treino de hoje foram Sandra ( @sandrabitencourt3 ) e seu marido Mauro. Sandra foi a que enfrentou as maiores dificuldades e por isso mesmo está de parabéns. Mauro precisou se dedicar um pouco mais se saiu melhor porque provavelmente já trazia nas bagagem das memórias as brincadeiras de bike nos tempos de criança.

A veteranas Babi ( @babilyrio ) e Miri ( @mirinaide01 ) melhoraram bastante em relação a edição anterior deste treino mas quem realmente me surpreendeu foi Tia Vone ( @maria_ivonilda_gonzalez ) que antes morria de medo desse tipo de treino mas hoje foi a que teve a melhor desenvoltura esbanjando confiança e destreza nas manobras.

Em breve vamos levar o Clube para Sapiranga onde a turma poderá testar os aprendizados no campo de batalha, mas antes vamos fazer mais clínicas como essa abordando outros aspectos como postura e força.

Agradeço especialmente a Ed ( @edinstrutordebicicleta ) que esteve neste treino dando apoio aos alunos novos e foi também quem registrou as imagens do vídeo.

Treino de Base – 12/06/2021
Percurso de 24 km em ritmo livre para que cada participante busque a sua cadência de conforto para melhora a eficiência energética em longos.

O treino do Clube começou em clima de comemoração pois foi dia da entrega da faixa Amarela para Babi (@babilyrio), Carolzinha (@carolzinhaoliveira80) e Má (@mariliafdourado) e da faixa Laranja para Sandra (@sandrabitencourt3) e Mauro. A Amarela significa que a pessoa já bateu todas as metas anteriores: Branca (50 km), Laranja (20 km de trilha) e Azul (80 km com 500 m de subida acumulada) e a faixa Amarela é um lembrete da próxima meta que será completar 30 km de trilha. Miri (@mirinaide01), Sandra e Mauro estão de posse da faixa Laranja e isso quer dizer que precisam completar 20 km de trilha para poderem receber a próxima faixa e para tanto vamos começar uma bateria de treinos específicos de postura e equilíbrio. Miri já teve algumas experiências anteriores fora do asfalto mais fazer essas aulas será muito bom para ela se aperfeiçoar já para Sandra e Mauro será a primeira trilha da vida então vamos caprichar nos treinos. Pretendemos ainda neste mês irmos para Sapiranga em busca da meta dos 30 km. Vale lembrar que toda esse treino visa preparar a turma para o desafio anual para Itacaré (274 km em 3 dias). Na primeira foto, bem no meio e mais ao fundo vocês podem ver Ed ( @edinstrutordebicicleta ) que está responsável pelos calouros do Clube e a turma dele vai crescer pois tem gente nova prevista para chegar nos próximos dias.

Caboto via Canal de Tráfego – 06/06/2021
Percurso de 77,8 km valendo a troca da faixa azul que é uma das metas do treino preparatório para o grande desafio de final de ano.

Hoje levamos para Caboto a turma do Clube com seus convidados e também os inscritos em nosso desafio de fim de ano (Itacaré). Fizemos um percurso diferente do habitual e a turma gostou MUITO porque evitamos a barulhenta e esburacada BR-324 passando por estradas bem mais agradáveis e com paisagens lindíssimas. O objetivo foi bater a meta Azul (80 km + 500m de subida) e por isso escolhemos esse percurso que é mais longo. Passamos pedalando por 4 cidades: Salvador, Simões Filho, Camaçari e Candeias percorrendo o total de 77,83 km e acumulando 572 m de subida. Moisés da @turisbikebahia gentilmente nos ofereceu – como cortesia – o serviço de VAN que nos acompanhou, como carro de apoio, na ida e foi o nosso transporte de volta, trazendo inclusive as bicicletas no reboque. Em nosso desafio de fim de ano será o próprio Moisés o responsável pelo serviço completo (transporte, hospedagem e alimentação), então hoje foi a nossa oportunidade para experimentar o serviço e digo que foi maravilhoso! Moisés é muito atencioso, paciente e a VAN é de primeira. Dá pra ver que o serviço é feito de ciclistas para ciclista pois ele sabe exatamente quais são as nossas necessidades. Super-recomendo. O grupo teve o total de 15 pessoas então não vai dar pra falar de um por um. Vale registrar que foi a nossa primeira vez pedalando com o grupo que irá fazer o desafio Itacaré 2021 e já dá pra ver que não teremos problemas, pois todos já estão bem condicionados e quem ainda não está 100% terá tempo de sobra para se preparar até novembro. Foi muito bom pedalar com pessoas como @bira.m.azevedo, @ paty.azevedo06 e @marthasmartinez que já fizeram parte do Clube e se tornaram amigos muito queridos. Hoje foi dia de troca de faixa. A meta azul foi alcançada e a próxima será a amarela (30 km de trilha) então o longo do próximo mês já está certo: Sapiranga (Percurso do Eucaliptol).

Barraca de Frutas – 30/05/2021
Percurso de 61,9 km valendo a troca da faixa branca que é a primeira meta do treino preparatório para o grande desafio de final de ano.

Sandra ( @sandrabitencourt3 ) desejava pedalar com o marido, Mauro. Ele até tentou ensiná-la só que o medo não a deixava andar de bicicleta. Eles já estavam quase desistindo quando em dezembro me viram na TV BAND falando sobre algumas alunas que aprenderam a pedalar depois de adultas, superaram vários medos e chegaram até a viajar de bicicleta. Então resolveram me procurar como um último recurso, antes de desistirem de vez da ideia de pedalarem juntos. Sandra chegou para a primeira aula muito tímida e no começo foi bem difícil, pois ela não conseguia relaxar. O tempo foi passando e ela foi ganhando confiança até se convencer de que poderia se equilibrar sobre a magrela sem cair. Daí em diante as coisas fluíram melhor e a cada evolução novos desafios se apresentavam. Primeiro foi o medo de cair, depois das curvas, do trânsito, das ladeiras e etc. Sandra, com muita paciência, persistiu até que depois de 3 meses de aula se juntou ao Clube. Naturalmente no começo ela não conseguiria acompanhar os membros mais experientes então eu confiei à preparação dela à Ed Ferreira ( @edinstrutordebicicleta ), que é quem me ajuda sempre que chegam novatos no Clube. Neste ponto vale registrar que no começo Sandra nem acreditava que conseguiria pedalar 3 km (palavras dela). Pois hoje, pouco menos de 1 mês após ter ingressado no Clube, estamos comemorando pois ela bateu (e superou) a meta da faixa branca (50 km) pedalando 61,9 km junto com seu marido. Realizando assim o seu desejo inicial e superando muito a suas expectativas. Parabéns Sandra e Mauro. Que a bicicleta seja uma ferramenta para vocês, além de cuidarem da saúde, reforçarem os laços do casal criando metas e projetos juntos. Agradeço também às veteranas Má ( @mariliafdourado ) e Tia Vone ( @maria_ivonilda_gonzalez ) que também participaram do treino de hoje e generosamente acolheram as necessidades de Mauro e Sandra e parabenizo a Ed Ferreira pela preparação da aula.

Reserva Sapiranga – 23/05/2021
Percurso de 19,1 km em estradas de barro e trilhas com foco em equilíbrio, força e resistência.

Hoje o Clube fez a sua primeira trilha do ano. Para alguns foi a primeira trilha da vida. Foram meses de preparação e muita superação de medos nos barrancos do Parque de Pituaçu e no areal do TECA. E tudo valeu a pena pois a turma deu show. O percurso foi de curtinho, apenas 20 km, e com baixo nível de dificuldade para não assustar a turma pois desafios maiores virão por aí.

Contamos com a presença de @mariliafdourado que convidou @deboraachy e @diogobarbosaesilva, que foram membros do Clube por meses e todos nós amamos revê-los. @maria_ivonilda_gonzalez trouxe Santana, que ainda eu ainda não conhecia, com seu jeito gentil e alegre, será sempre muito bem vindo e @mary_leonesy2 trouxe o namorado, Cristiano que andou afastado dos pedais por alguns meses cuidando da saúde e graças a Deus está de volta. Estavam presentes também @babilyrio e @carolzinhaoliveira80.

No começo, aqueles que estavam encarando a trilha pela primeira vez ficaram um pouco apreensivos. Isso é natural. Porém a exuberância da reserva despertou neles interesse nas paisagens e belezas naturais que renderam muitas fotos e cada um foi se adaptando. No final estavam todos muito felizes com o resultado. Algumas pessoas empurraram a bike nos trechos mais difíceis enquanto outros se superaram vencendo cada obstáculo que se apresentou. Ambos merecem parabéns, pois não existe jeito certo nem errado, cada um tem o seu momento e o importante é que todos chegaram bem e felizes no final.

Ao completar esses 20 km de trilha, Babi, Ivone, Mary, Carol e Marília bateram a meta laranja recebendo a faixa azul que eleva o desafio para 80 km de asfalto com 500 m de subida acumulada. Então o nosso próximo objetivo agora será levar o Clube para Caboto, pedalando na ida e na volta.

Depois da faixa azul teremos ainda mais 4 metas para bater até novembro, sendo a última delas representada pela faixa preta que na prática será o desafio Salvador – Itacaré (247 km em 3 dias).

Treino de Base – 16/05/2021
Percurso de 41 km em ritmo leve com foco no aumento da resistência para longos.

O treino do Clube de hoje recebeu visitas e calouros e a turma foi dividida em duas. Os mais experientes ficaram comigo e os estreantes eu confiei a condução de @edinstrutordebicicleta.

Ju (que aparece de camisa com listras coloridas) mora em Feira de Santana e, no passado próximo, aprendeu a pedalar comigo durante umas férias aqui em Salvador. Atualmente ela está pedalando bastante lá em Feira e hoje veio junto com o marido Gustavo (camisa preta e verde) rever o professor aqui. E eu fiquei tão feliz que preparei o roteiro do treino especialmente pensando neles, formos dar a volta na Av. Beira Mar na Ribeira (vide mapa). Os locais por onde passamos não eram totalmente novos para eles, pois já havíamos passado de carro, no entanto, ambos disseram que a sensação foi bem diferente (de bike), “parecia que estávamos em outra cidade”. A bicicleta tem o poder de nos conectar à cidade de forma diferente. Ju e Guga adoramos a visita e voltem sempre!

Ainda no meu grupo, contei com a presença das veteranas @mariliafdourado e @maria_ivonilda_gonzalez (Tia Vone) e da Nutella @carolzinhaoliveira80. Marília está em excelente forma, Tia Vone reclamou um pouco durante, mas no final, como sempre, estava vibrando e Carol foi quem não estava nos seus melhores dias mas o que importa é que completou o percurso e chegou se sentido bem no final. Como dizem os mais velhos: o que não mata te fortalece.

Sob os cuidados de Ed estavam @sandrabitencourt3 e seu marido Mauro. Sandra aprendeu a pedalar comigo há pouco tempo e, como ela mesma gosta de dizer, quando chegou não estava verde, era ainda uma semente. Foram muitas aulas, muitos medos enfrentados, muitas repetições. Então hoje é um dia para se comemorar, pois entrar no Clube é um grande passo para quem começou achando que não conseguiria nem sair do lugar. Tenho certeza de que em breve eles poderão se juntar ao restante do grupo.

Treino de Base – 08/05/2021
Percurso de 36,9 km em terreno misto com trechos de asfalto e areia com foco em equilíbrio, força e resistência.

No início da semana vi na previsão do tempo que a chuva finalmente iria nos dar uma trégua então já fui logo marcando, para hoje, uma Trilha em Sapiranga com a turma do Clube, mas infelizmente não deu. Eu estava animado, pois iríamos fazer a troca da faixa Laranja (20 km de trilha) para Azul (80 km asfalto) e para alguns dos alunos seria a primeira trilha da vida. Só que na quinta meu carro quebrou e eu até tentei pegar uma carona mas o carro de Edilene também deu defeito e com isso acabamos fazendo o treino de hoje aqui por perto mesmo. Nos encontramos na praça às 7h30 , como de costume, e eu apresentei duas opções de treino: Gancheira ou TECA (Terminal de Cargas do Aeroporto) e a turma acabou ficando com a segunda opção. Tecnicamente seria melhor a Gancheira mas eu confesso que adoro o TECA pois além de curtir muito pedalar na areia fofa eu acho o visual incrível. Fomos pela ciclovia do Metrô saindo na Estação Mussurunga, pegamos o finalzinho da Paralela e entramos pela Dorival Caymmi retornando no primeiro semáforo e subimos pela Mãe Stella de Oxóssi só pra tomar um caldo de cana geladinho (obrigado Marília!). Depois descemos pela Alameda das Praias e finalmente chegamos ao TECA onde cruzando pelo Areial saímos em Stella Maris, tomamos água de coco (Obrigado Tia Vone!) e voltamos beirando a Orla. A volta foi bem tranquila, sem tumulto na ciclovia. @mirinaide01 que já teve dificuldades com trilha, me surpreendeu gritando animada enquanto descia o single de areia. @mariliafdourado além da boa forma está cada vez mais à vontade nas trilhas e @maria_ivonilda_gonzalez foi quem sentiu um pouco na volta sendo que isso já era esperado pois ela teve Covid-19 e ainda está se recuperando. Eu acho até que ela se saiu muito bem. O que não te mata, te fortalece. Então acredito que no próximo treino você vai se sentir bem melhor, ouviu Tia Vone?!

BÔNUS

Baixe gratuitamente o Meu Livro “Manual do Ciclista Iniciante” (direto no seu e-mail).

Este PDF reúne de maneira estruturada as respostas para as dúvidas/dificuldades que são comumente enfrentadas por quem está iniciando no mundo do ciclismo. Ao ler este livro, você irá aprender como escolher a bicicleta certa na hora de comprar, entre outras coisas que irão lhe permitir pedalar com mais segurança e conforto. Este conhecimento irá lhe poupar tempo e dinheiro pois você poderá evitar cometer os erros mais comuns de quem está começando.